Garapeira

Nomes populares: Amarelinho, barajuba, garapeira, gema-de-ovo, grápia, grapiapúnha, jataí-amarelo, muirajuba, muiratuá.

Nomes internacionais: Grapia (ATIBT,1982).

Ocorrência:
Brasil: Amazônia, Mata Atlântica, Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo.

Outros países: Argentina, Paraguai, Uruguai.

CARACTERÍSTICAS GERAIS: Cerne e alburno distintos pela cor, cerne variando de bege-amarelado a castanho-amarelado; superfície lustrosa e lisa ao tato; cheiro e gosto imperceptíveis; densidade média; dura ao corte; grã revessa; textura média. Fonte: (IPT,1983)

DURABILIDADE / TRATAMENTO:
Durabilidade natural: O cerne apresenta resistência moderada ao ataque de fungos apodrecedores e alta resistência ao cupim-de-Madeira-seca. Em ensaio laboratorial, esta Madeira foi considerada resistente aos fungos apodrecedoresGlocophyllum trabum, Coriolus versicola e Poria monticola. Em ensaio de campo, com estacas em contato com o solo, esta Madeira apresentou vida média inferior a 9 anos (Fosco Mucci et al.,1992).

Tratabilidade: Apresenta baixa permeabilidade às soluções preservativas quando submetida à impregnação sob pressão (IPT,1989a).

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO
Trabalhabilidade: A Madeira de garapa é fácil de ser trabalhada desde que se use ferramentas apropriadas devido à presença de sílica; porém cola bem e proporciona bom acabamento (Jankowsky,1990)
Secagem: É difícil de secar ao ar. A secagem deve ser lenta e bem controlada para evitar alta incidência de defeitos (Jankowsky,1990)

USOS
Construção civil:
• Pesada externa: Pontes, estacas, dormentes ferroviários, cruzetas, mourões, postes
• Pesada interna: Vigas, caibros
• Leve em esquadrias: Portas, venezianas, caixilhos
• Leve interna, decorativa: Cordões, guarnições, forros, rodapés

Assoalhos: tacos, tábuas, parquetes, degraus de escada

Decks de Madeira